sexta-feira, 28 de março de 2008

Sobre Coisas que encontramos no chão

Calor...tédio...as moscas zumbindo e pousando de forma irritante como naquele filme de bang bang que o pai dele adorava...como era mesmo o nome?? Vai saber, a memória dele nunca foi muito boa pra cinema..."ele" em questão é o Jaime... quele cara ruivo deitado ali no sofá; as moscas estão voando perto da cabeça dele, viu?? Os all star riscados e seu pôster do Mucous Membraine não escondem que ele é mais um adolescente subproduto da Mtv brasileira...sim, Jaime também é um brasileiro...tão idiota quanto você custumava ser na idade dele... ou vai ser... Jaime tem 17 anos.Mas o calor continua,o suor faz suas costas grudarem na couro falso do sofá, as moscas zumbem com ainda mais vontade ;a tarde talvez ficasse menos intediante se pudesse se masturbar, mas não passava nada com um conteúdo mesmo que levemente erótico na Globo ás três da tarde; pelo contrario, as faces rosadas e felizes daquelas crianças do filme só faziam-o ter vontade de cagar na boca delas.

As opções não eram muitas... resignar-se e morrer de tédio logo ou descer até a rua e ir na videolacadora alugar qualquer filme com um título tipo "Taradas por um cavalo" e bater punheta até cansar...ou...ou...ah!! Tem aquele cubo mágico que ele achou no chão, na frente daquele boteco onde tinham matado um cara no ano passado. Em termos de atividades sem finalidade alguma, isso ficaria entre se masturbar e morrer de tédio... não era tão bom quanto um orgasmo...mas não era tão tedioso quanto assistir aquele maldito filme. A ida até o quarto foi um mártirio, qualquer movimento era dificultado pelo súbito peso que seu corpo parecia ter adquirido, só teve sossego quando uma brisa fria entrou pela janela da cosinha e atingiu seu rosto...abriu a porta do quarto e começou a procurar pelo cubo, estava lá; no bolso de fora de sua mochila, exatamente onde deveria estar. Pegou aquela obra prima da tecnologia da década passada e contemplou-a com uma cara abobalhada, parte pelo sono que o tomava ... parte pelo fato de realmente ele ter uma cara de abobado. Ligou o rádio e pôs o Doors para tocar...

A televisão ainda estava ligada na sala... mas foda-se, não era ele quem pagava a luz. "Riders on the Storm" tchandadadan..."Riders on the Storm"... ritmando como um coração de algum monstro velho e gordo... Jaime girou a primeira fileira horizontalmente e mechendo com a

parte do meio de forma vertical...as peças amarelas se distanciaram das verdes e se a proximaram das vermelhas, mas o cérebro de Jaime não processavam mais merda nenhuma além do fato de que brincar com aquilo era terrívelmente chato e estressante. Só uns segundos depois que ele notou que podia formar uma lateral inteira do cubo com os quadradinhos azuis com não mais que três ou quatro movimentos, isso indiziu um pouco de adrenalina em seu cérebro adolescente. Rapidamente ele moveu o cubo e quando deveria fazer o último movimento houve um estalo seco. Jaime sentiu uma vontade incontrolável de espirrar e teve coceiras infernais nas axilas e nas costas... sem falar que a bixiga dele parecia que estava queimando... de olhos fechados ele não pôde ver que tinha saído do quarto que ele conhecia.

Quando levantou da cama Jaime procurou pelo cubo perto de seus pés mas não o achou... aquele ataque bizarro tinha passado tão rápido quanto surgiu e só restavam os olhos lacrimejantes e a bexiga implorando pra ser esvaziada, ia procurar a porcaria do brinquedo depois que desse uma boa mijada. No banheiro os azulejos faziam o ambiente manter um frio agradável, melhor que no resto da casa... depois de mijar ruidosamente puxou a descarga e saiu o quarto.Quando entrou denovo no quarto deu um pulo pra traz e soltou um grito que ele mesmo definiria como "fodidamente gay"; deitado na cama de Jaime,havia um homem magricelo e feio, a cara enrugada e os cabelos ralos pareciam muito com a das pessoas atacadas por lepra que nosso herói tinha visto num site que um amigo dele visitava.

- Sai do meu quarto, porra!!Quem que tu é?? -Jaime pôs as mãos em concha bem no meio da testa como sempre fazia quando o pânico tomava conta dele; havia algo de estranho naquele homem... não era apenas a feiura... tinha algo nele...algo que não era real e isso fazia um mal terrível a sanidade do garoto.

Por um instante o visitante ignorou as frases, na verdade, olhou para os lados como que procurando a pessoa com quem Jiame falava... mas depois de uns dois segundos o feioso olhou fundo nos olhos do adolescente e disse em voz baixa...

- É comigo?? - ele apontava para si mesmo com o fino dedo indicador e tinha uma careta intrigada no lugar do rosto

Os olhos do intruso eram totalmente negros e Jaime gelou até a espinha quando notou isso,

-Caralho!! Claro que é cuntigo!! Que tu quer aqui!! Vai imbora!! - Jaime não sabia de onde aquilo tinha saído,mas nem se importava, só queria que aquele cara horroroso saísse de cima da cama dele. O suor comessava a escorrer, um suor que não vinha do calor,o suor do nervosismo.

O homem passou as mãos nos poucos cabelos que tinha na sua cabeça e fez um outra careta, dessa vez uma expressão de "oh merda" surgiu em meio as rugas e ele resmungou,

- Porque no meu turno?? - inclinou a cabeça pra traz lentamente até cair deitado novamente-tem certeza que pode me vêr??

- Que merda de pegunta é essa?? CLARO que eu posso te vêr!! - ótimo, aparentemente sua casa tinha sido invadida por um leproso drogado que achava que era invisível.

- Odeio quando isso acontece- o feioso resmungou para si mesmo -Bem, Jaime, não era pra você estar aqui meu amigo.

- Essa é a merda do meu quarto!! Minha casa!! Claro que eu devia tá aqui!! Tu é que não devia!! - a cada segundo aquela situação parecia mais bizarra e dissonante - Quem tu é??

-Na verdade você não está mais no seu quarto... pelomenos não no propriamente dito...- mecheu no bolso da calça e tirou um maço de Marlboro Vermelho, acendeu um (usando um isqueiro roxo ridículo) e tragou profundamente - Vai ser um dia longo... já vi que vai!! - soltou a fumaça.

-Foda-se o teu dia cara!! Esse é meu quarto e já falei pra sair da minha casa!!

O leproso, ou sejá lá oque a mente idiota do Jaime achasse que Guilherme fosse (sim,era esse o nome dele) passou a mão no rosto e disse de fomar impaciente...

- Tá, calaboca Jaime, calaboca e me escuta!! Esse não é o teu quarto real, é só uma ilusão emitida pela ressonãncia da energia do teu verdadeiro quarto; esse não é o plano material... pode parecer muito metafísico pra você mas tudo aqui é construído por forças neutras e karmicas...- olhou sério para o garoto.

- Quê?? - Guilherme notou que Jaime estava mesmo confuso...

- O.K...vou ter que te explicar isso de outra forma... vamos até a sala - e seria mesmo um dia terrivelmente longo.


Quando chegaram na sala Jaime ficou abismado quando olhou para o sofá... parlisou; seus olhos não consseguiam parar de olhar pra aquilo. Poderia fazer você entender melhor o que era "aquilo" se chamarmos a tal coisa com seu devido nome, e a palavra para definir "aquilo" seria, "tentáculo", embora é claro, "tentáculo verde e com alguns pêlos" defininisse ainda melhor "aquilo", mas mesmo assim não falaria das verruguinhas pretas... intão... bom... "aquilo" era na verdade uma porcaria bem difícil de se definir. E definitivamente não era o tipo de coisa que Jaime estava acostumado a ver fora dos filmesde terror.

-Mas... oque que é... ??- o olhar dele ia de Guilherme para "aquilo" e de volta para Guilherme... naquele silêncio pôde ouvir Jim Morrison resmungando baixinho no rádio do seu quarto... Mais uma tragada do cigarro e Guilherme estava pronto pra começar a aula...

-Isso é uma presença parasítica, feita basicamente de fluídos negativos e ectoplasma residual, se alimente de material incefálico de qualquer tipo. mas adora mostarda também.

Uma olhada rápida e constatou que o adolescente cuntinuava tão desinformado quanto antes, talvez até um pouco mais agora. Então tentou ser mais direto.

- Essa coisa feia aí é produto de energia ruim e pedacinhos da coisas da qual são feitos os fantasmas... daria até pra dizer que ela é um tipo de... "emoção fantasma" e se alimenta de coisas que tem no teu cérebro... prefere lembranças não muito revisitadas, são mais fáceis de pegar.

-Quer dizer que isso come meu cérebro?? E que é um fantasma?? Tem uma porra de fantasma debaixo do meu sofá?? - Jaime quase podia rir de todo aquele caos que tinha virado a sua casa.

-Basicamente é isso... mas não se preocupe,ele só conssegue fazer isso quando você dorme aqui no sofá - o cigarro já estava na metade agora. Os dois notaram que "aquilo" que saia de tras do sofá tinha um olho na ponta e estava assistindo atentamente ao filme das crianças rosadas.

- Isso não devia tá aí!! Eu nunca vi essa merda aí antes...

- Claro que nunca o notou, no seu mundo ele é metafísico demais; lá ele é uma idéia intangível e abstrata... beirando a inexistência as vezes... mas aqui... aqui ele é bem real.

Jaime olhou sério para Guilherme e perguntou,

- Eu tô drogado ?? Isso é alguma viagem??

- Não garoto... esse é só o plano que faz o seu funcionar... bem-vindo aos bastidores do plano material... meu nome é Guilherme, sou oque os católicos talvez chamassem de seu "anjo da guarda"...sou o responsável por monitorar você.

- Anjo... da... ah, merda... eu morri ??

- Não muleque burro, foi só uma forma de falar !! Você está vivo...só está...longe de casa.

-Como...por que tu me trouxe aqui??

-Eu não trouxe !! Era pra eu te monitorar até as seis da tarde depois disso devia usar minha Pistola de Indução de Conciência pra te fazer dormir, então eu ia ir pra casa... mas a merda do cubo-mágico parece que serviu de indutor espaço-temporal pra as forças cósmicas de ressonãncia... os filhos da puta da GMR nunca concertam direito essas porra de vazamento!!

- É incrível como cada vez que tu abre a boca eu intendo menos ainda... -a loucura do Universo tinha se atirado com toda força sobre a cabeça do Jaime, que a essa altura já nem achava tão ruim aquela tarde tediosa que ele estava tendo antes de pegar o cubo mágico.

- Tá bom... vamos por partes... o que você quer saber ??

Havia um bilhão de perguntas a serem feitas e ele sabia que resposta delas geraria mais um zilhão de novas perguntas...

- Foda-se cara...só ... me manda de volta pra casa... rápido.

- Bom... essa é uma parte ruim garoto, agora você é uma ameaça a integridade espaço temporal da sua realidade natal... já foi esposto a muito da nossa radiotividade metafísica se fosse pra de volta pro seu plano, não seria mais que um sonho de um sonho... além do

quê, isso comprometria toda a estrutura da realidade... ficar por aqui é a melhor solução... vêm comigo... vou te levar pra tomar um café... não têm idade o suficiente pra andar por aí sozinho... mesmo nesse plano.

Foi quando Jaime entendeu uma coisa... uma constante do Universo... seja qual fosse a situação ele jamais esqueceria da frase que lhe ocorreu...

A VIDA É MESMO UMA MERDA

domingo, 23 de março de 2008

Woody Allen



Woody Allen é ator, compositor, roteirista, humorista, diretor e um jazz legal.

quarta-feira, 19 de março de 2008

Chute o emo

Um post rápido:
Me passaram o link desse jogo e eu vou colocar aqui para o entretenimento de todos :p

Comando: Barra de espaço faz tudo

segunda-feira, 17 de março de 2008

Kick Ass, primeira edição

Foi rápido, hein ? Já está a disposição dos nerds brasileiros a edição número um de Ass Kick, a "maior revista de super heróis de todos os tempos", como anuncia o título megalomaníaco da capa; capa por sinal, muito bonita.

Antes de ler a revista eu disse que possívelmente seria uma obra mediana, retiro o que disse, promovo-a para o status de "promissora"; infelizmente é muito cedo pra se ter qualquer certeza; só lá pela terceira ou quarta edição é que as revistas tomam uma "forma" verdadeira.

Me sinto inquieto!! E só me sinto assim por que o plano do Millar funcionou perfeitamente; depois de começar a ler Kick Ass, umas perguntas começam a rondar sua cabeça, "Eu poderia ser um herói ?", "Será que eu essa seria uma forma de inspirar outras pessoas a fazer o mesmo ?". Vamos falar abertamente, todo mundo já pensou nisso ao menos uma vez na vida!! Combater o crime, proteger as pessoas... mas os devaneios acabam quando nos lembramos que uma única bala é o suficiente pra acabar tanto com a carreira de vigilante, quanto com o nosso crânio. Pessoalmente, gostaria de ter menos noção da realidade e um pouco mais de insanidade nas veias, pra tentar... ao menos por uma noite.

Um dos pontos chave que cativa o leitor de Kick Ass, se deve a personalidade do protagonista, Dave Lizewski, um jovem comum, que lê histórias em quadrinhos, assiste Heroes e se masturba pensando na professora de geografia; em suma : um adolescente normal. Por que, convenhamos, o esteriótipo de " jovem normal" utilizado nos quadrinhos ao longo dos anos, é manjado, e no mínimo deturpado; sempre retratando garotos magricelos e cdf's, de bom coração, mas perseguidos e desprezados pelos colegas fúteis.. Não é assim como Dave, que é apenas "mais um" na sua escola.

Falar mais que isso, sobre algo com tão pouco material divulgado, estragaria a leitura; atente pro humor sútil da história (e para o desfeixo um tanto forçado).

Deixe de ser sem graça e clique AQUI pra baixar a revista.

PS: hq traduzida pelo pessoal da comunida do orkut, Tradutores e Diagramadores. Agradecimentos especiais aos responsáveis por esta edição: Luiz Fernando, Moonshadow e Israel.

sexta-feira, 14 de março de 2008

Mais do Mesmo

Antes de qualquer coisa, a notícia é antiga... mas como não vi quase nenhum movimento sobre o assunto, vou me pronunciar;

E o desenho novo doHomem-Aranha ? (se você é um nerd chato que acha que "desenho" é pra crianças, substitua a palavra por "animação"). Não me refiro a aquela feita em computação gráfica, aquela que Globo passava SEMPRE os mesmos episódios, e que os personagens eram meio quadrados ; me refiro a outra, ainda mais nova. Pois bem, a tal série se chama "Spectacular Spider-Man Animated Series"... um título não muito criativo, que combina perfeitamente com o que parece ser a idéia da equipe de produção; já que aqueeeela outra série do Aranha, lá de mil novecentos e lá vem o Nirvana tinha praticamente o mesmo enfoque, os mesmos personagens centrais e os mesmos vilões. Tá, me acuse de chato, mas, faltou um pouco de imaginação e boa vontade por conta desses produtores/diretores, acabei de assistir um trailler de divulgação e me parece um enorme deja vú.

Nem tudo são espinhos na nova empreitada do melhor amigo da vizinhança, a arte conceitual (se você não é um nerd chato, troque "arte conceitual" por "desenhos") fica por conta de Sean Galloway, o mesmo que desenhou os curtas do Hellboy (em breve, alguma coisa sobre isso), o traço simples e claro combinou bastante com o personagem; me parece que a série terá um tom "leve" e vai ser mais indicada pra nossos irmão mais novos e sobrinhos...Que por sinal, vão infernizar suas progenitoras pra comprarem osbrinquedos que a Hasbro está lançando (se for um nerd chato, mude "brinquedos" para "figuras de ação; e depois vá pro inferno).

A popularidade do Aranha é uma coisa absurda, já notaram como o personagem anda ? é filme pra cá, mega eventos (nem vou comentar sobre One More Day) prá lá... e agora isso!!

o "elenco" da vez



e os "action figures"... que são horrorosos!!




video

quarta-feira, 12 de março de 2008

Chutando Bundas !!




Rápido, simples e objetivo. Novo trabalho de Romita Jr. e Mike Millar, pelas palavras do próprio Millar...

“O cara não recebeu o soro do super-soldado nem foi enviado via foguete por um mundo destruído. Ele apenas faz 100 flexões por noite, talvez umas aulas de karatê e come de forma sadia - ele é totalmente, totalmente vulnerável”, continua Millar. “Se um desses fortões russos te amarra numa cadeira, é provável que você não vá se soltar para enfrentar ele e o resto da gangue. É mais provável que você morra. A série é sobre isto. É sobre um cara fazendo algo corajoso ou estúpido (dependendo do seu ponto de vista) e aí, em nosso mundo maluco da Internet, um monte de super-heróis amadores aparecendo e copiando-o. Se um deles ganha alguma reputação e é visto como ‘legal’, pode apostar que vai ter mais 50 pessoas tentando aparecer nos jornais também.”

“É uma série que quebra tudo que a gente ama nos super-heróis e constrói de volta, de um jeito novo. Estamos muito empolgados com ela. Johnny [Romita Jr.] e eu acreditamos que nos deparamos com algo potencialmente gigantesco”

Trabalhar com heróis realistas não é algo lá muito inovador... afinal, é só o que se tem feito nos últimos tempos (tenho essa sensação ao menos. Um fato me incomoda: O senso que define o que é ou não "realista" é muito vago, afinal Watcmen era sobre personagens realistas e um dos personagens centrais da trama era azul e tinha poderes quase divinos; Alias, a série da detetive Jessica Jones, era realista e coexistia com o universo "clássico" da Marvel (é só pensar no Galactus que a palavra "realista" some da minha mente) ... mas devaneios irrelevantes à parte, parece que a idéia dos dois parece ser criar uma "realidade" mais próxima da nossa (ou seja, o herói deve morrer lá pela edição número três, esfaqueado por um mendigo esfomeado) ... pessoalmente acho que vai ser uma série mediana, só o fato de se usar uniforme colante, já torna o personagem um tanto "fantástico".

E pra terminar... o vídeo do "super herói de Nova York", um golpe de marketing da Marvel pra promover a nova hq... notem que até os power rangers conseguem parecer menos fakes que esses caras... (o contexto do vídeo: super herói defende cidadão que estava sendo espancado)

video

e pra não me chamarem de mau carater: retirei as notícias daqui, de e de um outro lugar.

PS: já existe um grupo de tradutores trabalhando no projeto, ou seja tão logo saiam os scans, trarei novas notícias)


segunda-feira, 10 de março de 2008

Vinte Minutos

Meia-noite... a chuva cai pesada, lavando o mundo. Gotas escavando a terra macia... formando oceanos microscópicos... a bota ignora tudo, passando na sua frieza sentimental de borracha e couro negro. Hemmignton está ferido, sua testa tem um corte pequeno e as costelas doem. O carro ainda está chiando, amontoado sobre a árvore velha e envergada. Foi uma bela colisão. Hemmington caminha na direção da velha casa vitoriana, procurando alguém. As tábuas da varanda protestam e afundam um pouco, ele bate na porta. Os poucos segundo de espera passam e ele avista uma luz bruxuleante se movendo para a porta... há um rosto ali... branco... uma mulher, cabelos negros escorrendo sobre os ombros, lábios carnudos.
Ela está próxima agora, abrindo a porta.

- Eu pude ver o seu acidente lá da minha janela... está ferido ?

- N-Não, não muito... mas seria bom poder telefonar para o resgate... ou pro guincho...

- Entre por favor, meu nome é Mirna. A eletricidade caui quando a tempestade começou... mas vamos ver se o telefone ainda funciona.

Ele já está dentro da casa, cheira a mofo e coisas de gente velha. Uma película de poeira cobre tudo que ele consegue enxergar; mas lá é mais quente e seco que na rua, e tem um tefelefone.

- Por favor, por aqui moço. - Só agora ele notou que ela está vestida de camisola... e tem belos seios! Uma mulher linda de verdade, com um péssimo agente imobiliário. Ele a segue, passando pela escada que leva ao andar de cima, pelo corredor com retratos de gente esquecida.

- A senhora mora sozinha ?

- Desde o dia em que meu pai faleceu, esta casa foi tudo que ele me deixou, era tudo o que ele tinha...Vivo sozinha aqui desde então... as vezes, me sinto muito solitária.

Ela parou abruptamente as pernas dos dois se esbarraram,,,

- Desculpe... não acha melhor trocar essa roupa antes de qualquer coisa ?

- Não quero incomodar.

- Não, pelo contrário, não quero que um homem tão bonito acabe doente por causa minha...Vamos até o quarto do meu pai, algumas das roupas dele podem servir em você.

Pela forma que eles se olharam, pela voz dela...Hemmington teve certeza que iria transar com ela. E foi assim mesmo. Vinte minutos depois, suados e arfantes, estavam saciados na cama... Apesar de um pouco fria, fazia tempo que Hemmy não encontrava uma mulher assim... havia algo de selvagem nela. Ela adormecera, e ele estava faminto... desceu as escadas lentamente, levando a vela na altura da cabela... procurando qualquer coisa que lembrasse uma cosinha... Um baque, ele está no chão. Algo pesado sobre seu corpo... algo frio... se aproximando de seu pescoço. Com uma cotovelada imprecisa ele se livrou de seu atacante e pôde encara-lo, era Mirna... observando com olhos insanos... mas o que realmente chamava a atenção eram os caninos enormes. Mais rápido do que Hemmington poderia pensar e commais força que ele podia crer, ela o atirou contra a parede. Ele caiu desacoirdado, Mirna o ergueu e abriu a boca... seu corpo clamava pela vida daquele estranho.

As janelas estouraram e houve um claro que a cegou. Não pode ver, mas sentiu o cheiro de suor e houviu os batimentos cardíacos...seis... seis invasores em sua casa.

- Mirna Blackfellow você está presa sobre suspeita de violação das leis da Realidade. Afaste os dentes do pescoço do agente Hemmington. Não vai querer ser acusada de destruir patrimonio da W8, vai ?

Vinte minutos depois...

- Essa vagabunda deve ter me quebrado umas duas costelas... como se já não bastasse eu ter que me acidentar de verdade pra entrar aqui. Que é que teve a idéia de fazer essa operação ? Foi o Steven Seagal ? Não era mais fácil ter invadido a maldita casa durante o dia e carregado o caixão dela ?

- Você faz muitas perguntas Hemmy, acabe o cigarro e entre no Orbital.

- Quando forem dar uma identidade nova pra essa puta, eu quero que seja de garçonete... em algum lugar bem fodido... ou de empregada pra um velho tarado e sem pernas que buline ela o tempo todo...ou...

- Calaboca Hemmy.

Os dois subiram na esfera metálica que flutuava do lado de fora...e sumiram desta dimensão.


esse conto era pra ser infinitamente mais bem trabalhado, ficou ruim da forma que tá agora... mas não me contive; quis romper esse meu albinismo literário...

sábado, 8 de março de 2008

Tento Nosso

A pequena cidade de Tento Nosso “existia” perto de uma usina nuclear. A coisa mais interessante que já aconteceu lá foi quando Seu Surupião perdeu os dedos do pé na máquina de cortar madeira. O que eles estava fazendo com o pé perto da lâmina da máquina ninguém sabe, mas especula-se que envolvia alguma fantasia sórdida secreta.

A Usina Nuclear Claude René dava emprego pra uns 99% da cidade. Tirando Seu Surupião –que cortava madeira- e uns comerciantes –que comercializavam-, todo mundo era empregado do neto de Claude René, um francesinho metido a besta, fedido, chato e com orientação sexual duvidosa. E emo, alguns diziam.

Um dia chegou na cidade Rolão Reginaldo, um preto grande e forte, com duas guitarras nas costas (uma tatuagem bem apagada e uma de verdade) e um passado negro no bolso. Rolão não trabalhava, vivia no bar, bebia, bebia e não se embebedava. Tocava guitarra (sem amplificador), fumava palheiros e observava a cidade com seus olhos manchados.

Então surgiu um boato na cidade, que devido à sua diminuta dimensão, logo se espalhou e ganhou força. Rolão, dizia o virtuoso povo, estava sendo sustentado pelo neto de Claude René, o francesinho de orinteação sexual duvidosa, que já não era mais tão duvidosa assim. E muitos diziam que o fato do primeiro ter chegado à Tento Nosso era premeditado, e não uma (in?)feliz obra do acaso.

Rolão parecia ignorar tais boatos (boatos?), e continuava bebendo e não se embebedando, tocando guitarra sem amplificador, fumando palheiros (de Viradouro) e observando a cidade com seus olhos manchados. O neto de Claude René não se pronunciava a respeito (não que alguém o indagasse a respeito).

Um dia, no bar, Rolão, que nunca havia sequer tocado no nome do neto de Claude René (embora, é claro, teria tocado secretamente em várias outras coisas dele), se embebedou, e disse que o francês era, sim, emo. Ao pronunciar tal fato, Rolão fez cara de “eu não devia ter dito isso” e saiu ás pressas do bar. A cidade riu, mas não durou muito.

No dia seguinte tanto o preto quanto o francês haviam sumido. A usina ficou às moscas, sem administração, veio à falência e desempregou quase toda a cidade (menos Seu Surupião e uns comerciantes, que afinal vieram a ficar desempregados pouco depois, devido à crise).

Em pouco tempo o prefeito foi embora com sua família. E assim morreu Tento Nosso.





(with a litlle help from Marilinha. Muito obrigado meu amoreco =* )

quarta-feira, 5 de março de 2008

As melhores fotos tiradas pelo telescópio Hubble

Inspirada pelo post do Banned Fotos que entraram para a história”, e inspirada também no nome do blog (já foi explicado o pq desse nome), resolvi colocar aqui as melhores fotos tiradas pelo telescópio Hubble. Eu tenho verdadeiro fascínio pelo espaço, sou suspeita pra falar sobre isso, mas eu adorei as fotos. Espero que gostem também.

1º A Galáxia do Sombrero - Fica a 28 milhões de anos luz da Terra. Ela têm 800 bilhões de sois e um diâmetro de 50.000 anos luz.

2º A Nebulosa da Formiga - Nuvem de poeira cósmica e gás. Recebeu esse nome por assemelhar-se à uma formiga. Está a cerca de 3.000 a 6.000 anos luz da Terra.


3º Nebulosa NGC2392 - Possui um anel formado por estruturas ou restos desagregados de estrelas mortas. Está há 5.000 anos luz da Terra.


4º Nebulosa Olho de Gato - Nem é preciso dizer o motivo do nome dela.


5º A Nebulosa Ampulheta - Distante 8.000 anos luz.


6º A Nebulosa do Cone - A parte que aparece na foto tem 2,5 anos luz de comprimento.


7º A Tempestade Perfeita - Distante 5.500 anos luz. Formada por hidrogênio, e pequenas quantidades de oxigênio, enxofre e outros elementos".


8º Noite Estrelada - É um halo de luz que envolve uma estrela da via Láctea.


9º Constelação do Cão Maior - Distante 114 milhões de anos luz.


10º A Nebulosa Trifid - Afastada da Terra 9.000 anos luz, é o lugar onde nascem as novas estrelas.



Um bom dia a todos.


terça-feira, 4 de março de 2008

Símbolo Nacional

Ha ha! Um site em que você responde um questionário e eles te mostram qual símbolo nacional você "é".

E não é que eu sou uma bela e farta BUNDA?



Pois é, nem sei o que pensar desse fato...

Dêem uma checada, digam aqui o que você é =]

(Dica de site tirada do blog Nota Zer0! )